Série 1: Métodos Diagnósticos em Pneumologia – Difusão do Monóxido de Carbono (DLCO)

A medida da capacidade de difusão pulmonar para o monóxido de carbono (DLCO) é um exame que mede a habilidade do pulmão em transferir o monóxido de carbono do ar inspirado até os glóbulos vermelhos presentes nos capilares pulmonares. Trata-se de um exame de realização relativamente fácil quando comparado a outros testes de função pulmonar, como a espirometria forçada.

Esse exame apresenta muitas indicações, tanto para auxiliar no diagnóstico ou diagnóstico diferencial, quanto para seguimento de diferentes processos patológicos.

Quando solicitar o exame?
A DLCO é muito utilizada em doenças intersticiais pulmonares, tratando-se de um teste muito sensível nessas situações. Em relação aos distúrbios ventilatórios restritivos, a DLCO é útil para auxiliar no diagnóstico diferencial entre causas pulmonares, quando o valor é reduzido, e causas extrapulmonares, como na cifoescoliose, quando o exame costuma estar dentro dos limites de referência ou minimamente reduzido. Ela também está indicada nas doenças vasculares pulmonares, como no tromboembolismo pulmonar crônico, doença vascular pulmonar em doenças reumatológicas e vasculites, bem como na hipertensão arterial pulmonar idiopática (Figura 1). Além dessas situações, a DLCO pode ser utilizada para auxiliar a diferenciar a asma do enfisema (Figura 2). Na primeira, o resultado do exame costuma se encontrar normal ou elevado, enquanto no segundo, abaixo do limite inferior de referência. A DLCO encontra grande indicação na avaliação de risco cirúrgico nas ressecções pulmonares por neoplasias pulmonares. Ela é um preditor de complicações e de mortalidade no pós-operatório.

Recomendações técnicas:
Pacientes que realizarão o exame devem ter alguns cuidados:
1. Não fumar no dia do exame. 
2. Não usar oxigênio 15 minutos antes e durante o exame. Obviamente, o exame não é realizado em pessoas que não podem ficar sem suplementação de oxigênio por esse período.
3. Repousar antes do exame

Aspectos técnicos importantes desse exame foram publicados recentemente pela ERS/ATS. Esse texto pode ser encontrado em: http://erj.ersjournals.com/content/49/1/1600016.

Finalmente, é bom ressaltar a importância dos valores de referência, que podem ser extremamente diferentes conforme os autores utilizados. Dessa forma, os laboratórios devem informar de onde foram obtidos esses valores, bem como os solicitantes devem observar essa informação.

Em resumo, a DLCO é um exame muito útil no contexto das doenças pulmonares, de execução relativamente fácil e que requer alguns cuidados em seu preparo e interpretação.

Dr. Meyer Izbicki
Pneumologista. Mestre em Pneumologia. Coordenador do Laboratório de Função Pulmonar da Disciplina de Pneumologia da Escola Paulista de Medicina – UNIFESP/EPM

Acompanhem pelo site: www.sppt.org.br, newsletter ou na página do Facebook da SPPT: https://www.facebook.com/SocSPPT/

Divulgação exclusiva da Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia – SPPT

Dra. Eloara Campos – Diretora de Divulgação da SPPT

Deixe uma resposta

Fechar Menu